MEDICAMENTOS


         No Japão, não se pode comprar todos os medicamentos nas farmácias como no Brasil. Os remédios de prescrição médica são adquiridos obrigatoriamente nas farmácias intra-hospitalares (INNAI YAKKYOKU), ou em farmácias de prescrição fora do hospital (INGAI YAKKYOKU). O seguro de saúde cobre os gastos do pagamento, embora tenha restrições para algumas doenças ou situações. A prescrição médica tem validade por 4 dias para comprar os medicamentos, por isso é necessário ter cuidado para não ultrapassar este período, principalmente quando se intercala sábado, domingo e feriados.

        Ao comprar os medicamentos de prescrição, terá de preencher novamente um formulário da farmácia, que requisitará informações sobre as condições do paciente: gravidez ou possibilidade de estar grávida, período de amamentação, alergia a algum medicamento, efeito colateral detectado após o uso de alguma medicação, se há ingestão paralela de alguma outra medicação (de algum outro hospital), e o tipo de trabalho que exerce (trabalho em alturas, manejamento de motores, máquinas de risco, se dirige automóveis, para alertar sobre a sonolência que o medicamento pode causar).

         Ter cuidado no modo de usar: quando ingerir (antes ou após as refeições, ou ainda, entre uma refeição e outra, ao deitar, ao acordar e em ocasião de emergência com dose única – TOMPUKU) e quantas vezes ao dia tomar (respeitar o intervalo entre as doses). Ingerir sempre junto com água e não com suco, refrigeirante, leite ou chá. Evitar tomar álcool após a medicação.

         Caso esqueça de tomar uma dose, procurar orientação do farmacêutico. A indicação geral é, tomar assim que perceber a falha e deixar um espaço de 8 horas, no caso de medicação de 1 vez ao dia e mais de 4 a 5 horas, nos casos de 2 à 3 vezes ao dia. Nunca tome 2 doses acumuladas.

         Em crianças, pergunte ao farmacêutico a melhor forma de oferecer o remédio para o pequeno. Muitas vezes, misturar em sucos ou em gelatina, pode tornar o gosto ainda mais amargo. Os supositórios devem ser introduzidos no ânus e manter pressão com dedo por uns 5 minutos para que não seja expelido. Nos idosos, solucione a melhor forma de ingestão conversando com o farmacêutico, pois um mesmo medicamento pode existir em pó, drágea ou líquido. Escolha a de maior facilidade de ingestão. Caso haja muitos tipos de remédios para tomar num mesmo horário, poderá pedir à farmácia juntar diferentes medicamentos em 1 só envelope, evitando confusões de ingestão.

        Conservar os medicamentos em lugar fresco e fora do alcance das crianças. O colírio, supositório, gotas nasais, auditivas e emplastos devem ser conservados na geladeira. Não utilizar medicamentos que sobraram na ocasião passada; não dar seu medicamento para outras pessoas mesmo que sejam iguais; não tomar medicamentos do Brasil junto com os do Japão; não interromper o tratamento medicamentoso por conta própria, e não auto-medicar para o seu próprio bem. 

     

    (Matéria de Dra. Elza Nakahagi, médica do Disque-Saúde, e cedida gentilmente pela IPC.)

     

         

    O programa Disque Saúde é mantido por empresas que se preocupam com a saúde dos brasileiros no Japão.










    Biblioteca
    Parceria